Imagem Escola da Nova Visão
Imagem Escola da Nova Visão

Contato:
(41) 3015-3639

Árvore da Vida - 49 Pilares

Imagem Árvore da Vida - 49 Pilares

 

Livro de Referência

 

ESCADA DO PRIMEIRO AO SÉTIMO CÉU

 

49 DEGRAUS PARA A ASCENÇÃO

AUTORES: JUAN RAFAEL MENDES, ROCIO BASTANTE ZELAYA

A venda nas Livrarias Curitiba, Clique Aqui

 

 

CURSO 49 PILARES

 

LOCAL: Escola da Nova Visão

Santa Feliciadade - Curitiba - Paraná

 

Para fazer a sua inscrição, entre em contato conosco:

  escoladanovavisão@gmail.com

 

Querido irmão:

                        Esperamos que ao recebimento de estas líneas, se encontrem bem, em companhia dos seus entes queridos desfrutando dos momentos que hoje lhe toca viver, esse e nosso sincero desejo.

                        Nós estamos plenos e em contentamento por estar hoje acompanhados dos seres que realmente amamos e em agradecimento infinito por haver logrado finalmente deixar testemunho escrito da profunda e real experiência vivida no transcorrer de estes anos.

                      Este fruto realmente afirma e confirma o verdadeiro sentido da vida, a expansão e afirmação do “Eu Sou” aqui e agora, em este momento presente e tão transcendente de nossa existência.

                     Imaginamos-nos que se o mensageiro foi rápido, preciso e efetivo, e se não se distraiu no caminho, terás em tuas mãos o “Curso da Escada ao Céu”, o mesmo contem um guia que conduz a que utilizes todos os “recursos” que tens nas mãos pra descobrir e percorrer de forma clara e simples os 7 primeiros degraus dos 49, os passos através dos quais poderás entrar em este maravilhoso mundo que temos vivido, e que te

levara a tão ansiada “liberação”, enquanto tenhas o valor e realizes o suficiente esforço para “valorizar” o seu transcurso.

                   Para não cansar com palavras que já conheces, citamos algumas respostas de  perguntas que nos imaginamos tens por fazer é que o mais seguro que o encontres neste documento..

                   Despedimos-nos não antes de convidar-te a participar ativamente para que ponhas em pratica teus valores e de esta forma se multipliquem, expandindo e ocupando assim o verdadeiro nível para o qual foram realmente criados, mostrando o maravilhoso mundo que aspiramos e anelamos para o qual em parte já estás vivendo.

                 Com um profundo agradecimento por estar ai no justo lugar e assim ter com quem compartir estes frutos.

                 Agradecemos com um afetuoso abraço.

 

                                                             Teus irmãos de caminho,

                                                            Juan R. Mendez         Rocio Bastante Zelaya




A Lei de Oitavas

 

A Lei de Oitavas rege tudo quanto foi criado. Escreveram-se tratados completos acerca da mesma e não é nossa intenção alargarmo-nos aqui sobre ela, mas apenas fazer uma descrição geral que permita entender a sua relação com o Jogo.

A perspectiva que se tem da vida é muito limitada; é como se estivéssemos a ver uma fita a preto e branco, privando-nos de toda a gama de combinações que a variedade do espectro electromagnético outorga e, com isso, perdendo grande parte do que realmente nos rodeia. É assim, como se se estivesse a ver a vida de um só ponto de vista, numa única perspectiva e, em casos excepcionais, conseguindo alcançar no máximo três pontos de vista. No entanto, isso não significa que, porque não possamos ver a totalidade, porque tenhamos certa restrição visual, outras partes, perspectivas ou cores, não existam.

Assim, devido à restrição à qual se está submetido e por estarmos encarnados numa terceira dimensão, não temos consciência de que existem forças superiores, com as suas respectivas cores e formas, que estão presentes, interagindo constantemente através de nós; forças das quais não nos apercebemos devido à limitação visual, mental ou espiritual que nos caracteriza.

Não obstante, estas ‘forças’ estão ‘aí’ e movem-se, como o tiveram que exclamar tantos cientistas quando se enfrentaram no passado, e ainda se enfrentam, perante o que a ciência classifica como inexplicável ou inaceitável, como no caso das descobertas ou teorias como as de Copérnico, Képler, Galileu, etc. A ciência reiteradamente teve que aceitar, contra a sua postura inicial, que existem estas forças ‘invisíveis’ aos olhos, que se movem e interagem no plano físico; concluíram inclusivamente que estas se regem por leis que as governam, dirigindo, em maior ou menor grau, os objectos em que incidem.

O mesmo princípio, por correspondência, deve aplicar-se a cada aspecto da vida, inclusive ao comportamento humano.

 

“Como é em cima é em baixo,

como é em baixo é em cima, mas de maneira diferente”[1]

 

Leis Cósmicas[2] mantêm este grandioso universo em coesão. Se não existissem estas leis, estaríamos então no caos (ainda que ambos – ordem e caos – se necessitam e se conciliam constantemente). Estas leis regem tudo o criado, desde a dimensão de onde são emanadas, descendo paulatinamente de grau em grau e de dimensão em dimensão até chegar à nossa; estas leis avançam numa escala descendente, sobrepondo-se o final de uma ao início da outra, chegando a esta dimensão que conhecemos como 3-D, ou Terceira Dimensão, e que se forma e limita por largura, altura e profundidade. Estas leis estão ‘aí’, em todos os graus ou dimensões, funcionando especificamente neles, mantendo uma ordem precisa, actuando directamente em nós, sobre nós e apesar de nós.

As leis existem com o propósito de que nos tornemos seres conscientes. O livre arbítrio também é uma lei e, por isso, quando este não é usado correctamente, traz consequências que obedecem a outra lei (a de causa, efeito e fim) com o propósito de que rectifiquemos o erro ou desvio cometido. É assim que existem eventos que se produzem impessoalmente em toda a humanidade e que afectam as pessoas segundo o nível de consciência no qual cada uma se situa. Na realidade não existe nada pessoal. Aquilo que classificamos como os ‘meus problemas’ são, na realidade, eventos vividos por múltiplas pessoas em todo o planeta, como se se tratasse de um mesmo papel interpretado por distintos personagens. No entanto, se nos elevarmos a um nível de consciência superior, esse outro nível ou dimensão ao qual o nosso Ser tenta conduzir-nos diariamente e ao qual podemos aceder apenas por esforço consciente, livramo-nos das leis que regem os planos inferiores e, por conseguinte, dos eventos que costumam ocorrer nesse plano, e, se continuarmos a ascender a níveis de consciência cada vez mais altos, só estaremos sob o domínio de uma única lei, a Lei que rege todas as leis do universo e no qual o mesmo está baseado: A Lei do Amor. Como analogia para entender o que se quer dizer, pode-se usar o exemplo de qualquer carreira das forças armadas, enquanto se está nos primeiros escalões há que obedecer a toda a gente, mas, à medida que se é promovido, são outros os que nos obedecem e cada vez menos pessoas têm ingerência sobre nós.

 

 

               

O desenvolvimento da consciência de cada pessoa, a sintonia com o Cosmos, dá-se através do percurso que se exerça conscientemente da Escada Ascendente, que se divide em oitavas ou níveis de sete degraus cada um, usando como base a superfície horizontal do último degrau do nível anterior e como topo a parte vertical do primeiro degrau do nível seguinte. Esta escada, na realidade, é uma espiral que se há de percorrer obrigatoriamente se se quiser alcançar qualquer objectivo neste mundo de evolução.

Tudo é regido pela Lei do Sete, formando assim uma Oitava que se exemplifica na escala musical diatónica, composta pelas sete notas tradicionais, que se relacionam através de cinco passos completos e dois semi-passos, distribuídos numa sequência de a e cuja relação é de dois para um.

Diagrama: Oitava Musical

 

A Lei de Oitavas  rege e explica todas as coisas que nos rodeiam e corrobora-se na existência de conjuntos de leis septenárias tais como: as sete leis, os sete postulados, etc. A implicação do sete, mesmo assim, está presente noutros elementos: os sete dias da semana, as sete cores do arco-íris, os sete corpos, os sete chakras, ou vórtices energéticos, os sete pecados capitais, as sete musas da inspiração, etc.

Todo o Ser que nasce neste plano material está regido por esta Lei de Oitavas, e é assim como, de sete em sete anos de vida, existe a possibilidade de passar por câmbios estruturais, desde o nível físico até ao máximo nível de subtileza, no último corpo que constitui cada ser humano. Isto quer dizer que de sete em sete anos ou oitava de vida se apresentam novas combinações, se abrem novas opções para um nível superior de vida e de consciência, aproximando a pessoa a novos mundos, dos quais pode aproveitar ao máximo se é que toma consciência das oportunidades que a Lei de Oitavas lhe apresenta.

Para concluir, só resta dizer que a evolução de todas as pessoas depende da Lei de Oitavas, da capacidade que tenha de percorrer ascendentemente cada um dos sete degraus do nível da escada espiralada em que se encontra e de passar ao seguinte nível, e assim sucessivamente, sem interromper o ritmo de cada passo. Esse ritmo, por sua vez, depende do jogo harmonioso que se dê entre as polaridades que regem o plano material, da busca do caminho médio entre a contracção e a expansão, entre a qualidade e a quantidade, entre as forças mentais e as forças emocionais e entre cada um dos pares de opostos que regem, interna e externamente, a nossa individualidade (a indivi-dualidade que é a dualidade indivisível em cada ser humano)... tudo isto em busca de objectividade no Mundo da Acção.


 

Serviço

 Degrau

Afirmação: “Eu Sou a Eternidade, Infinita, Única e Eterna nela todo se contém, todo o sustenho, todo é, e nela minha morada Eu Sou”.

 

Ideal: O Serviço é o único meio para chegar ao Criador

           

1. Pilar- Nível de Ação

 

O nível de ação que se solicita é o do Serviço, colocado no nível mais elevado da Arvore de Luz e Vida Eterna. O Serviço é a única porta por onde se ingressa ao caminho de regresso ao “centro”, por onde se encontra a rota a transitar quando se quer encontrar o maior servidor que se conhece, o Pai de Pais.

Sinônimos: Ajudar, auxiliar, assistir, concertar, suplicar, repartir, dar.

Antônimos:

?  Perguntas de indagação:

1.Quero encontrar realmente aquela via que me leve e me mostre qual é o passo para sair de onde hoje me encontro?

2.Que é para eu realmente servir?

2.Templo Moroncial:

                   

O Palácio para o Propósito do Homem

 

  Este é um dos Templos Etéreos mais importantes, si não é o mais importante, porque e o que está na “Coroa” onde saem todos os demais raios que tocam os outros templos que o rodeiam.

             ‘O Palácio para o Propósito do Homem’, é onde a verdadeira natureza do homem é revelada como príncipe herdeiro ao trono de seu pai; este é o lugar onde qualquer ser humano pode aceder a seu divino propósito, é aqui se revela o plano que ele trace para manifestar na terra.  

 

Perguntas de Indagação:

 

  1. Quando me coloco por cima do outro, sentando-me superior? Quantas vezes ao dia o fazem?
  2. Quando me coloco por baixo de outros, sentando-me inferior? Quantas vezes ao dia o fazem?
  3. Se tiveres gente ao teu cargo faz a seguinte pergunta:
    1. Qual é a forma como me apresento diante dos que trabalham para mim?
    2.  Eu sirvo a eles ou ele me servem? Seja sincero.

 

 Pontos de Estudo e Trabalho

 

  1. Prestar atenção ao que nos dizem estar atento e não cair em falsas modéstias.
  2. Prestar atenção de não bajular o outro pelo simples gosto de fazer-lo, esperando algo a cambio.
  3. Vigiar para não sobre valorar-se ante outros e muito menos envaidecer perante outros.